Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Ciclos

01.02.20

Olá!
Deixei o blog ao abandono durante algum tempo, por ter andado bastante ocupada, o que significa que por momentos me mantive estável. Foi óptimo... por momentos.

Não sou nada de criar resoluções de ano novo nem nada que se pareça. Não gosto por ser algo que se força, mas respeito quem as faça! E admiro até quem as consegue concretizar. Não seria de todo o meu caso.
Contudo, pensei que este ano tinha tudo para começar bem e assim continuar. Comecei a colher frutos em Dezembro, após meses de derrotas consecutivas.

Chega Janeiro e começa tudo a desmoronar-se... desilusões por parte de pessoas que menos esperava, dispensa do melhor trabalho que tive até hoje, que tal como a minha psicóloga me disse "assentava quase como um fato feito à medida".
A partir daí, começou tudo a intensificar-se. Neste caso, a ansiedade.

Ela sempre cá esteve e é saudável até certo ponto. Eu tenho noção disso! Estou até orgulhosa dos mecanismos, considerados bons ou maus - isso já depende da perspectiva de cada um - que fui arranjando ao logo de todos estes anos para lidar com ela. O que é certo é que, bons ou maus, resultam!

Mas ultimamente tem sido demais. E confesso não estar a conseguir lidar, pelo menos no seu todo. Cometi também o erro de tentar "resolver-me" sozinha. Pensei mesmo que ia conseguir lidar com tudo isto, sozinha.

Mas não é possível. Admiro quem consiga ultrapassar os seus demónios sozinho. Mas pedir ajuda é também sinal de coragem. Porque tudo assusta, inclusive pensar que temos de exteriorizar tudo aquilo que nos está atormentar. No meu caso, também me custou devido ao facto de voltar a um espaço ao qual tinha deixado de ir há uns meses.

On a lighter note, sei que vai ficar tudo bem. Porque já tive provas de que isso é possível. Temos só de ter bastante paciência enquanto percorremos o caminho até lá.


publicado às 13:12

"Hiperfixação"

26.08.18

É um termo sobre o qual não tenho conhecimento como seja em português. No entanto, li acerca da hiperfixação num site que aprecio bastante que é o the mighty. Aconselho a  irem seguindo o mesmo, caso tenham interesse em ler artigos sobre a saúde mental e dicas para que possamos lidar da melhor forma com as doenças mentais.

Ora bem, a hiperfixação, conforme consta no artigo, trata-se da obsessão por algo. Basicamente ocorre quando nos tornamos totalmente viciados em algo: um hobbie; um jogo; em ver televisão; numa fandom; etc...


Confesso que desde a minha adolescência sempre estive bastante submersa em música e nos próprios artistas, grupos de humor... enfim, imensa coisa mesmo. Se tivesse de enumerar, nunca mais saíria daqui. Tendo chegado a um ponto em que pensei para mim que não seria de todo normal. Porque a fixação que tinha durava apenas semanas ou meses, era bastante intensa e, quando deixava de a ter, partia para outra.

Imaginem a minha reacção ao ler este artigo! Lá no fundo estava e ainda continuo a usar este mecanismo, sem saber que era mesmo isso: um mecanismo através do qual me sinto melhor.

Já tinham ouvido falar disto?

 

 

[edit: posso ter interpretado mal o verdadeiro conceito]

publicado às 10:00

Cada vez que começo algo novo, como na época dos exames que tive ou como um trabalho novo, passo por sintomas de desrealização. São tão fortes que não consigo ultrapassar e acabo por me prejudicar.

Começo a questionar quem sou, onde estou e o que me possa estar a ser dito simplesmente não me entra na cabeça. É como entrar em piloto automático, mas, ao mesmo tempo, é assustador. Existe uma sensação de falta de controlo e medo de deixar de conseguir reagir. Não sei explicar bem.

No entanto, ao escrever este post, encontrei este magnífico artigo que espero que me venha a ajudar, assim como a quem possa já ter sentido o mesmo.

publicado às 21:26

Voltei!

Precisava mesmo de umas semanas para respirar um bocadinho. Agradeço desde já a quem me deixou comentários no post anterior. Foram mesmo muito queridos e consegui sentir o vosso apoio. Muito obrigada! 

Tal como prometi há uns meses, vou hoje aprofundar o assunto da respiração diafragmática!

 

Como qualquer outro exercício, pode não funcionar com toda a gente. Querendo frisar que apesar disso, há sempre muitos exercícios diversificados para toda a gente.

Gosto muito de utilizar este por ser um tanto discreto. Podemos fazer em casa, nos transportes públicos, na rua, no café, enfim... onde quer que seja que precisemos. Recomendaram-me que o fizesse antes de deitar e antes de sair de casa. Repetem-se as vezes que forem necessárias, claro.

 

Indo agora ao que interessa...

(http://ataquedepanico.com.br/wp-content/uploads/2016/02/respirao5.jpg)

 

1º Passo: Sentar ou deitar de barriga para cima, numa posição confortável com as mãos sobre a barriga. 

2º Passo: Inspiração - Inspirar pelo nariz, devagar, de forma a que se sinta a barriga a "encher como um balão", ou seja, sentindo que estamos a utilizar toda a capacidade dos pulmões.

*Curiosidade: Aprendi que nós, adultos, respiramos mal, devido ao ritmo de vida acelerado que temos. Se repararem nos bebés, as suas barrigas aumentam de volume e diminuem, que é basicamente o que deveríamos fazer, se respírassemos da forma mais adequada.

3º Passo: Expiração - Expirar pela boca, devagar, de forma a que se sinta a barriga diminuir de volume.

 

Repetir por 5 minutos ou por 10 vezes.

 

É importante referir que é normal que sintamos tonturas ou sono. É normal, tendo em conta que estamos a respirar de uma maneira que não nos é tão familiar e por estarmos bem mais relaxados. 

Ensinaram-me que deveria contar até 3 ou 4 durante a inspiração e a expiração, mas só não indiquei por achar que acaba por nos fazer ficar preocupados com o facto de estarmos ou não a fazer "according to the book". Devemos fazê-lo como nos sentirmos melhor, sendo que nas primeiras vezes podemos não conseguir fazer esta respiração. Tal como tudo, somos animais de hábitos e devemos ir praticando. Com a experiência, vamos conseguindo mais e melhor. 

Se alguém entretanto fizer este exercício, gostava que deixasse o seu feedback nos comentários!  

 

 

*Sou muito leiga nestes assuntos, tudo o que escrevi aqui foi-me ensinado por uma psicóloga.

publicado às 14:48


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D