Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

vox nihili

20
Fev17

sobre: festival da canção

vox nihili

Deixei de ver o festival da canção durante alguns anos e ontem decidi ver por curiosidade.

Hoje fui-me arrastando para o curso, deixando um rasto de bocejos pelo caminho... Mas isso é um outro aparte.

Voltando ao que realmente importa, fiquei positivamente impressionada nesta edição!

Gostei muitos de uns e, não tanto de outros, não podendo dizer que tenha odiado algum em especial - até porque odiar é uma palavra muito forte.

No entanto, houve uma interpretação que, para mim, se destacou mais.

 

Para já, quando vi que a Luísa Sobral era a compositora, pensei logo que só poderia ser bom.

Mas estava longe de imaginar que seria tão soberbo. Adoro a interpretação, a voz, tudo!

Até a forma como se posiciona ao microfone - a forma como "foge e volta" - e como movimenta as mãos. Eu dou sempre muito importância a estas coisas quando vejo alguma actuação. Às vezes, até interpreto demais as coisas...
Mas está tudo no ponto certo! Transmitiu uma pureza ou, talvez ternura, que não esperava, tendo em conta que o tema será sobre um casal, em que um dos elementos deixa de amar o outro. E, o "lesado", - linguagem profissional, lamento (!) - quer amar pelos dois, de forma a salvar esse amor.

 

Vi muitos comentários de quem pensa que, por não ser uma canção festivaleira, não merecesse passar. Eu penso que, só pelo seu conteúdo, - que muitas vezes falta a canções "mais festivaleiras" - acaba por merecer. A meu ver, tem um quê de uma alma muito portuguesa, não sei... Não sei mesmo explicar! 
Acho que já depende do que cada um de nós define como música festivaleira ou não, mas, para ser bom, não tem de ser pimba.

 

Tenho agora esta música em repeat até à próxima semi-final. Com uma actuação destas, fica difícil de acreditar que poderão vir a apresentar temas tão bons ou melhores.