Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Recebi uma chamada para uma vaga num escritório até que... alto lá! Era preciso uma experiência tão mas tão específica que a situação se tornou no minimo risível.

Mas é tão triste. Como se já não bastasse a situação de exigirem experiência mas não oferecem emprego para que se possa adquirir a mesma... Chegou agora a um novo cúmulo...
E eu já toda animada a pensar que tinha conseguido um emprego perfeito (sendo eu a introvertida que sou) e pimba! Toca de inventar mais uma especificidadezinha.
Que comichão!

publicado às 10:00

Dedicação

28.08.18

Apanhei esta pelo facebook e desmanchei-me a rir.

publicado às 10:00

"Hiperfixação"

26.08.18

É um termo sobre o qual não tenho conhecimento como seja em português. No entanto, li acerca da hiperfixação num site que aprecio bastante que é o the mighty. Aconselho a  irem seguindo o mesmo, caso tenham interesse em ler artigos sobre a saúde mental e dicas para que possamos lidar da melhor forma com as doenças mentais.

Ora bem, a hiperfixação, conforme consta no artigo, trata-se da obsessão por algo. Basicamente ocorre quando nos tornamos totalmente viciados em algo: um hobbie; um jogo; em ver televisão; numa fandom; etc...


Confesso que desde a minha adolescência sempre estive bastante submersa em música e nos próprios artistas, grupos de humor... enfim, imensa coisa mesmo. Se tivesse de enumerar, nunca mais saíria daqui. Tendo chegado a um ponto em que pensei para mim que não seria de todo normal. Porque a fixação que tinha durava apenas semanas ou meses, era bastante intensa e, quando deixava de a ter, partia para outra.

Imaginem a minha reacção ao ler este artigo! Lá no fundo estava e ainda continuo a usar este mecanismo, sem saber que era mesmo isso: um mecanismo através do qual me sinto melhor.

Já tinham ouvido falar disto?

 

 

[edit: posso ter interpretado mal o verdadeiro conceito]

publicado às 10:00

Estado de espírito do dia:


publicado às 10:00

Balanço

22.08.18

Sempre fui uma pessoa que gosta imenso de ajudar os outros, ao ponto de me prejudicar imensas vezes. Ou pelas expectativas que inevitavelmente se criam, saírem furadas, ou por me colocar em 2° lugar.

 

Agora mesmo estava prestes a escrever "modéstia à parte" como se se tratasse de uma qualidade, mas tenho vindo a aprender que acaba por ser egoísmo contra mim própria.

Às vezes os outros não querem ser ajudados.

178136528.jpgComo é que alguém não quer ser ajudado?! - perguntam.

 

Talvez por serem demasiado orgulhosos por aceitar o facto de que precisam de ajuda. Por tomarem atitudes radicais contra o próximo, como se a culpa daquilo que sentem fosse dos outros.

Isto pode parecer estranho. Talvez por o ter presenciado há pouco tempo.

 

Toca de removermos todas as pessoas tóxicas da nossa vida. Há quem simplesmente ao ser assim nos faça sentir mal. Por vezes sentir que já nem nos conhecemos, mas, o amor próprio é sempre prioritário.

 

Be happy!

publicado às 10:00

... e foi brutal!

É aquele festival ao qual quero tentar ir todos os anos.
1º - reúne somente artistas portugueses, o que acaba por dar reconhecimento à mesma e sinceramente, provar que para um festival ter sucesso não é necessário ir buscar artistas estrangeiros. Embora dependa sempre do gosto de cada um.
2º - Os artistas são bastante variados e de grande qualidade!

 


A única desvantagem são as filas intermináveis para a restauração e para as casas de banho, que como é óbvio não estão no seu melhor em termos de limpeza, mas é um festival, por isso há que ter espírito festivaleiro e simplesmente aceitar. 

Seguem algumas das músicas de que mais gostei:





 

publicado às 18:22

Decidi voltar a fazer algo que gostava imenso!

Voltar a escrever cartas a pessoas de diferentes países e, assim, fazer amigos novos.

transferir (1).jpeg

Mas qual a minha desilusão quando vou a um desses sites e a maior parte do pessoal optou por trocar a magia de uma carta no correio por e-mails?
Ugh, estou a ficar velha?

publicado às 10:00

Cada vez que começo algo novo, como na época dos exames que tive ou como um trabalho novo, passo por sintomas de desrealização. São tão fortes que não consigo ultrapassar e acabo por me prejudicar.

Começo a questionar quem sou, onde estou e o que me possa estar a ser dito simplesmente não me entra na cabeça. É como entrar em piloto automático, mas, ao mesmo tempo, é assustador. Existe uma sensação de falta de controlo e medo de deixar de conseguir reagir. Não sei explicar bem.

No entanto, ao escrever este post, encontrei este magnífico artigo que espero que me venha a ajudar, assim como a quem possa já ter sentido o mesmo.

publicado às 21:26


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D