Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




"Mad world"

28.02.18

 

publicado às 12:39

recaída

21.02.18

Vem de forma gradual.

Mas existe a vantagem de por vezes se ter algum conhecimento dos sinais de recaída, graças aos anos e anos de batalha. Embora, por vezes, não estejamos preparados para lidar com.

Cansa imenso tanto física como mentalmente. Chegamos a um ponto em que sentimos que nos vai rebentar uma veia qualquer no cérebro, devido à pressão imensurável que sentimos na cabeça. Não só na cabeça; no peito; na garganta.

Uma sensação de despersonalização que nos faz acordar de uma hibernação mental instântanea.

A meio do estágio/trabalho. A meio do caminho para casa. A meio de uma conversa. A meio de um descanso no sofá.

As mãos tremem constantemente e as pernas começam a tremer a cada passo que damos,  - isto não é figurativo, - e a nossa memória parece cada vez mais deteriorada.

 

Começamos a questionarmo-nos acerca da falta que fazemos ou não.

Começamos a idealizar situações que queremos muito colocar em prática para acabar de uma vez por todas com o sofrimento. Cada vez mais com uma naturalidade cortante e fria.

Porque tudo isto não faz sentido. Levar uma vida em que nos sentimos cada vez mais inúteis. Sempre com um sentido de inadequação que não passa, nunca. Somos estranhos e paranóicos. A nossa personalidade é oca. Pensamos nós.

 

Há dias desabafava com um amigo, que me tem ajudado bastante ultimamente, e ele disse-me algo que me ficou na cabeça pelo sentido que fazia: acabamos por idealizar situações em que nos magoamos devido à negligência de outros.

Não fomos ouvidos o suficiente. Se calhar a forma como nos disseram a frase x não foi a mais correcta ou foi até mesmo ignorante. Que não é nada de especial porque não é físico. Como se fosse algo apenas unidimensional. 

 

Não gosto mesmo nada de ser a pessoa que diz o que se segue, mas entendo que acaba por ser verdade: "só quem passa por isto, consegue verdadeiramente entender".

 

Estou exausta.

 

 

 

(posts mais frequentes e alegres surgirão quando possível)

 

 

 

 

publicado às 15:24

1:30

19.02.18

 

"Passa o dia e a noite

Não sei se estou a perder amor à vida

ou ódio à morte"

publicado às 01:29


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D